jueves, 17 de junio de 2010

O SABOR DO AMOR


Chegas a mim com a pulsação do seu coração
te abrigo com o calor que emana da minha alma
impregnas teu ser absorvendo o sabor do meu elixir
Te inundo com o néctar sagrado do meu universo
estremecendo-te com torrentes de profunda intimidade
sinfonias de fogo e línguajá de indissolúvel caricias e beijos
que leva registrada a intensidade de meus sentimentos
emoção sublime que é o sol para o seu céu
nos jardins floridos de tua imortalidade

EL SABOR DEL AMOR

Llegas a mi con el pulso de tus latidos
te cobijo con el calor que emana de mi alma
impregnas tu ser absorbiendo el sabor de mi elixir
te inundo del sagrado néctar de mi universo
estremeciéndote con torrentes de profunda intimidad
sinfonías de fuego lenguaje de caricias y besos indisolubles
que llevan grabados la intensidad de mis sentimientos
emociones sublimes que son el sol para tu cielo
en los floridos jardines de tu inmortalidad

7 comentarios:

Carmen Regina Dias dijo...

Tu és bárbaro, POeta! Soy tua fã!
Que palavras! QUe versos!
QUe poema vivo!

besos!

Lígia Saavedra dijo...

Victor, gostaria de convidar meus leitores para visitar tuas maravilhosas páginas, mas não posso fazê-lo sem a sua autorização, já que o botão direito está desabilitado.
Por favor, se puder responda no meu e-mail.
Muito Obrigada, querido!
Um terno abraço amazônico

Patricia Amaral dijo...

Divino este poema como um não sonhar e maravilhar-se com tamanho poder de palavras.

Abraços e sonhos

Anónimo dijo...

Victor quanta lindura de bondade há em suas palavras cheias de amor e sensações que nos deixa extasiadas ao ler. Uma poesia cheia de amor e atrativos de carinho

Maria (Rio de Janeiro) dijo...

O guardião do tempo chega como ata dentro desta poesia sensual e voa a seu tempo astral..lindooooooooooooooooo

Fatima Pacheco dijo...

Ah mi amigo Victor - teus poemas me recordam as tardes em Bagda, os parques de Paris e um mundo de lugares onde jamais estive.Que dom maravilhoso poder transportar os teus leitores(como eu) a terras desconhecidas, belas e divinas.

cristal de uma mulher dijo...

Las palabras alimentan el amor y el amor alimenta las palabras.
la poesia es mismo un regalo.

Besitos